Este é um assunto polêmico, portanto, vamos esclarecer alguns conceitos:

Nosso corpo é constituído por aproximadamente 70 a 75% de água, seguindo variação de faixa etária e composição corporal.

Ao nascer- 75 a 80% de água

Fase adulta- 55 a 60%, diminuindo ao envelhecermos

Segundo a composição corporal:

Uma pessoa “normal”, mas com pouco volume muscular, tem cerca de 57% do seu peso composto por água.

Um bodybuilder: 75% da sua composição, porque os músculos são tecidos que armazenam muita água

FUNÇÃO DA ÁGUA NO ORGANISMO- Além de ser o  meio de transporte dos nutrientes, favorece o processo das reações químicas das células. Também é o principal elemento do sangue, proporciona a sua fluidez, o que possibilita a circulação do plasma sanguíneo através das veias e artérias. Ainda participa dos sistemas digestivo, intestinal e linfático.

A água é o mais importante veículo para eliminação dos metabólitos tóxicos como ácido úrico, ureia, creatinina...), através da urina, suor, respiração e fezes.

DESIDRATAÇÃO- Este estado provoca mudança na composição dos líquidos em todo o nosso corpo, resultando na redução do volume celular, inclusive a diminuição do volume dos músculos, além de provocar  queda da pressão arterial e a elevação dos batimentos cardíacos (taquicardia).

Com a desidratação, há acúmulo de substâncias tóxicas, devido à redução da Urina, desequilibrando a concentração de sódio e potássio,possibilitando a formação de cálculos na bexiga, rins e cãibras. O cérebro e  medula podem apresentar distúrbios no sistema nervoso, ocorrendo dificuldade de raciocínio, coordenação motora e predispondo o indivíduo à convulsões.

DESIDRATAÇÃO E O ATLETA

Sabemos que na fase competitiva, os detalhes visuais são fatores decisivos para os bons  resultados dos atletas em campeonatos de fisiculturismo. O volume muscular continua sendo o fator número um na formação do físico, mas somente o volume muscular com harmonia associado a uma EXCELENTE e PERFEITA definição é que  será o físico CAMPEÃO. E, na tentativa de conseguir grande definição muscular, muitos atletas têm-se enganado na sua preparação, tornando todo seu esforço ineficiente, devido a  falta informação do funcionamento do organismo humano.

O uso abusivo de diuréticos é um exemplo!

Para Manter o volume e definição é importante que o músculo fique cheio de glicogênio...cada molécula de glicogênio carreia três moléculas de água para o interior do músculo. Para isso, é necessária a presença de água e,com o corte de água muito antecipado associado  aos diuréticos, o volume dos músculos será menor e o atleta sentirá estar “definhando”. Com o estímulo de desidratação feito  incorretamente, o efeito de “no aquecimento” antes das provas será nulo e os músculos não apresentarão o aspecto rígido  e vascularizado.

Com os diuréticos, há eliminação de água de todo o organismo, inclusive de dentro do músculos. Se competidor entra desidratado, terá dificuldades para fazer as poses em contração isométrica devido à fadiga muscular e intoxicação provocada pela retenção de metabólitos não excretados, pode ter sintomas de taquicardia , dificuldade respiratória e muitas cãibras.

Uma dieta bem feita, seguindo a fisiologia humana, associada à um excelente treino, com certeza trará muitos benefícios e principalmente, o atleta alcançará o objetivo final com saúde e total segurança para uma boa competição.

Saber controlar a água, manejar sódio e Potássio, saturar o glicogênio é individual, cada atleta tem que ter sua própria dieta. Para isso, procure profissionais realmente habilitados e responsáveis, sugiro ainda, que já tenham competido neste esporte com excelentes classificações

Para sanar qualquer dúvida escreva para: larissagcunha@hotmail.com

Referênicas

Wilmore, Costill, Kenney. Fisiologia do Esporte e do Exercício Ed  Manole

Guyton & Hall:Tratado de Fisiologia Médica. Ed Elsevier