Alguns mitos em dietas persistem há anos, e o consumo de Carboidratos é um desses mitos.

Os carboidratos complexos apresentam benefícios como melhor estímulo da produção de serotonina, melhora do funcionamento intestinal uma vez que fornecem fibras solúveis e insolúveis que também estão relacionadas com a redução do colesterol. Ainda  previnem câncer de cólon, auxiliam a absorção de alguns nutrientes, atuam no fornecimento de nutrientes para o cérebro (glicose), entre outros efeitos benéficos

Então NÃO é bom RETIRÁ-LOS DA DIETA!

Quanto aos carboidrato antes de dormir, devemos levar em consideração, que em períodos de repouso, o metabolismo consome menos energia, diminuindo as funções fisiológicas e metabólicas...isso favorece o acúmulo (em forma de gordura) se o carboidrato estiver em excesso. Observe que este comentário de acúmulo, é direcionado para indivíduos sedentários.

Agora quando falamos em  atletas ou praticantes assíduos de atividade física, a lógica é outra.

Vamos entender: O metabolismo e as funções fisiológicas não se restringem exclusivamente ao estado de repouso (taxas basais),  mas está relacionado com todos os processos que passamos durante o dia como trabalho, estresse, treino... Durante o dia, ao se mexer, caminhar, lavar, arrumar a casa, são funções que proporcionam gasto energético e desgaste (mesmo que mínimo), articular, muscular.... Então necessitará de  recuperação.

Imagine este mínimo  associado à um praticante de musculação ou outro esporte que usa em grande escala esse processo de recuperação tecidual... Além de exigir demandas muito maiores de nutrientes, exigirá também  muito mais tempo para esta recuperação. Então, no repouso onde teoricamente o consumo deveria ser menor, a necessidade passa a ser tão ou mais evidente  do que nos outros momentos do dia. Isto é chamado de demanda energética total.

Então porquê não podemos ingerir carboidratos após as 16, 18 ou 20:00? Esta ingestão, deverá ser analisada por um Nutricionista para ser inserida no horário onde a demanda energética é Maior ou Menor!

Se uma pessoa treina a noite entre 20:00h-22:00h. Provavelmente, sua maior ingestão calórica e de carboidratos se dará em torno de umas 18:00 ou 19:00. Com uma refeição pós treinamento que pode ser rica em carboidrato ou com menor quantidade de carboidratos, dependendo do seu objetivo. Treinando a noite, há recuperação durante o sono e nos períodos matinais. Igualmente para quem treina bem cedo, é favorável fazer uma refeição noturna com carboidratos

O que é importante é saber QUAL o tipo de carboidrato usar.

Os carboidratos complexos de Baixo Índice glicêmico,  como arroz Integral, macarrão integral, batata doce, mandioca...são bem vindos, estes Não liberam insulina rápido no organismo e contribuem para a sensação de saciedade, tem seu tempo de digestão prolongado e formam glicogênio de forma satisfatória.

Devem ser evitados os carboidratos de alto índice glicêmico, conhecidos como carboidratos simples. Estes são digeridos, caem na corrente sanguínea em forma de glicose e são distribuídos e absorvidos pelas células rapidamente. Consequentemente a taxa de glicose sobe, resultando em um pico glicêmico. Como as células recebem a toda glicose de uma vez,  o que não é utilizado para a geração de energia é armazenado em forma de gordura. Carboidratos de alto índice glicêmico são os responsáveis por gorduras localizadas na região da barriga, flancos e culotes.

ATENÇÃO- O principal fenômeno para a queima de gordura é o ciclo do ácido cítrico (Krebs). Este  Ciclo quando a mitocôndria transforma oxaloacetato (provenientes do piruvato, ou que foi formado pela glicose  ou pela proteína na falta do consumo de carboidratos), em  acetil-coa (proveniente da Gordura) em citrato, dando inicio ao ciclo. Esse ciclo é responsável pela liberação de ATP, a energia que resultará em energia mecânica (movimento), para que você continue a praticar seu exercício.

Tanto o acetil-coa quanto o oxaloacetato são importantes para o ciclo de Krebs ter inicio e são derivados da glicose.  Portanto a gordura queima graças ao carboidrato consumido. Se o indivíduo está com baixo glicogênio, pode ser usado a proteína para iniciar o ciclo, mas isto pode induzir à degradação muscular e não é nada interessante.

Para emagrecer é importante o aumento do metabolismo basal através da prática de exercícios físicos regulares e intensos, principalmente musculação.

Podemos concluir que a ajuda para emagrecer é o equilíbrio da nossa dieta diária. Devemos manter uma alimentação balanceada, não pular refeições e não exagerar na quantidade durante as mesmas.

Cada indivíduo tem uma necessidade específica, então para reduzir, cortar ou comer qualquer nutriente, sabemos é uma questão variável  e só poderá ser calculada por um Nutricionista.

Para maiores informações ou dúvidas, entre em contato com larissagcunha@hotmail.com

Referências

BOBBIO, F.O.; BOBBIO, P.A. Introdução à química de alimentos. 3. ed. São Paulo: Varela, 2003. 238p.

JEREMY, M, et all, Bioquímica, 6ª ed., Rio de Janeiro, Guanabara Koogan, 2008.

WILLIIAMS, S. R. Fundamentos de nutrição e dietoterapia. Trad.: Regina Machado Garcez. 6ª Ed. - Porto Alegre;2007

.